Skip to content

O Multinível como conhecemos acabou – e o futuro será muito melhor

multinive-do-futuro

Por Ednaldo Bispo

Após 25 anos de experiência no Multinível, posso dizer que nossa indústria vive o fim de uma era.

Um tempo em que já não faz mais sentido convidar as pessoas para eventos, promover produtos comuns e recrutar com foco apenas na oportunidade de renda residual.

E isso é ótimo, pois está prestes a nascer um MMN muito mais simples, fácil de gerar resultados e conectado com os desejos do consumidor final.

A seguir, vamos conhecer:

  • Por que o Multinível mudou
  • Como será o Multinível do futuro
  • O que fazer para não perder consultores e clientes para as oportunidades do futuro

Ao final dessa leitura, você estará preparado para o que está por vir na nossa indústria.

A “culpa é do consumidor

Se é o consumidor quem paga os bônus, o Multinível é obrigado a acompanhar as mudanças no comportamento das pessoas.

E este consumidor está cada vez mais consciente, conectado, com escassez de tempo e em busca de produtos e serviços que realmente lhe tragam saúde e bem-estar.

A pandemia apenas acelerou esse processo no mundo todo, ao estimular ainda mais a compra online e a preocupação com a saúde física e mental.

Você acha mesmo que esse consumidor não vai comparar os seus produtos com os de outras empresas? Ou vai desligar o celular e parar uma hora pra ouvir sua oportunidade de negócio?

Com certeza, não. Mas calma.

No Multinível do futuro você não precisará se preocupar com nada disso.

A resposta não é só Marketing Digital (é muito mais que isso)

É tentador acreditar que todas as soluções estão somente em aprender os últimos “hacks” do marketing digital e deixar o negócio rodando sozinho.

Mas se fosse assim, teríamos uma legião de afiliados ricos, além de milhares de líderes livres e despreocupados. E você nem estaria aqui querendo entender para onde está indo o Multinível, certo?

A verdade é que o marketing digital é uma excelente ferramenta de recrutamento, mas o Multinível é muito mais do que somente atrair as pessoas.

É ajudar esse novo consultor a vender para ter resultado rápido, conhecer os produtos, ensinar a duplicação, participar dos treinamentos e muito mais fatores que vão repercutir diretamente na sua retenção.

Mas como você vai ajudar as pessoas a atingirem seus objetivos, se seu foco está 99% no recrutamento de novos diretos?

A riqueza no MMN, como se sabe, está na profundidade, e não na lateralidade. Por isso, a resposta está muito além do marketing digital.

Consultor recruta, a empresa retém

Mas e se o consultor só recrutasse e a empresa cuidasse da retenção?

Esse é um papel que as empresas de Multinível do futuro precisarão assumir para si, se quiserem dar escalabilidade aos seus negócios.

Para isso, precisarão já nascer para funcionar 100% online, em todas as etapas da construção do negócio: venda direta, recrutamento, retenção e liderança.

Terão de buscar automatizar ao máximo a relação com os novos consultores, entregando conteúdos sob demanda, conforme eles avançam no negócio.

Deverão buscar formas de automatizar, inclusive, o processo de patrocínio responsável, gerar vendas recorrentes de forma automática e oferecer diversas ferramentas online para que o consultor possa se preocupar somente em promover o negócio.

Em resumo, o consultor recruta com ferramentas de marketing digital simples. E a empresa cuida de praticamente todo o resto.

Simples assim.

Abordagens com zero rejeição

Mas de nada adianta fazer tudo isso para facilitar o recrutamento e a retenção, se o novo consultor ainda tiver medo de falar com as pessoas.

E é dever da empresa do futuro criar abordagens simples e ferramentas online que reduzam a zero o medo do “Não”.

Alguns exemplos disso podem ser enquetes de estilo de vida com respostas personalizadas, recrutadores automáticos, conversas de Whatsapp que não gerem rejeição e muito mais variáveis.

A verdade é que o novo consultor precisa ter prazer em desenvolver o negócio desde o início, sem exigir uma enorme carga de força de vontade para seguir adiante.

Ele precisa fazer o negócio enquanto assiste Netflix, conversa no Whatsapp, posta no Instagram e vive sua vida normalmente.

Ou seja, ele deve poder trabalhar e ganhar na zona de conforto, e não mais no desconforto.

Funil largo

O sucesso da empresa do futuro estará na capacidade de atrair pessoas que nunca fizeram Multinível antes. Ou que tenham preconceito com nossa indústria (por motivos que conhecemos bem).

Parte disso se resolve ajudando o consultor a não ter qualquer risco de sofrer rejeição, como abordei no tópico acima.

E a outra parte é ter um funil largo, para que todos possam entrar e experimentar o negócio.

Em outras palavras, isso significa o cadastro grátis ou simbólico, já permitindo que o novo consultor possa vender pela loja virtual e recrutar para o seu negócio.

Aqui cabe à empresa criar réguas de relacionamento, treinamentos e ferramentas para que este consultor tenha resultado rápido e faça seus primeiros pedidos.

Produtos “elevador”

Outro segredo é ter produtos acessíveis às classes C e D, mas que sejam ao mesmo tempo aspiracionais. E que tenham diferenciais reais e facilmente percebidos também pelas classes A e B.

Esqueça os produtos “mais do mesmo” apenas para compor a ativação. Do contrário, afastará esses novos consultores e consumidores conscientes de fora do MMN.

Os produtos precisam encantar ao primeiro olhar, gerar curiosidade e ainda produzir benefícios reais e percebidos pelo consumidor final.

Sim, é difícil. Mas, definitivamente, não é impossível.

Foco no cliente final

Na empresa do futuro, cliente é rei. Ou seja, todas as estratégias comerciais devem estar voltadas para encantar e fidelizar o cliente. Afinal, é ele quem paga o bônus.

Para isso, podem ser criados programas de desconto para clientes fiéis, assinaturas de produtos com anamnese personalizada, acompanhamento por profissionais da saúde e muitos outros serviços.

É preciso também ter um atendimento humanizado, 24h por dia, 7 dias por semana, em diferentes plataformas, com foco em resolver realmente os eventuais problemas do consumidor final.

E oferecer a ele espaço de feedbacks para a melhoria constante da operação.

Posicionamento no mercado da saúde e bem-estar

Como o cliente final é quem manda e ele está cada vez mais preocupado com a saúde e o bem-estar, os produtos e serviços precisam seguir pelo mesmo caminho.

Devem ser produtos funcionais, que ajudem a resolver as maiores dores universais (emagrecimento, saúde mental, qualidade do sono, energia e disposição e imunidade) de um jeito único e especial.

Precisa ficar clara a real preocupação da empresa em promover saúde não com foco na doença, mas em ajudar as pessoas a viverem com mais qualidade.

Pagamentos de bônus semanais e facilitados

Quem gosta de trabalhar, gerar bônus e ver o seu dinheiro ficar “preso” por regras sem sentido?

As empresas perdem muito mais por gerar travas para saques do que por facilitar o acesso a um dinheiro que é de direito do consultor.

É preciso buscar formas de gerar pagamentos semanais, com o mínimo de burocracia possível e sem nenhuma trava para o saque, a não ser as exigências do governo.

É melhor investir em tecnologia para tornar os pagamentos mais simples do que seguir frustrando as pessoas, principalmente nos níveis iniciais.

Isso, cada vez mais, não fará o menor sentido.

Relação amigável com marketplaces

Os marketplaces devem ser vistos como uma extensão da loja virtual, com regras claras para que os consultores possam utilizar essas ferramentas de forma saudável para toda a rede.

É melhor criar regras que todos possam seguir do que tentar proibir as vendas (muitas vezes sem sucesso) e ter consultores descontentes de todos os lados, desvalorizando o negócio como um todo.

Empresa enxuta

Fábrica própria? Logística interna? Mega sede só pra impressionar líder?

Isso, cada vez mais, fará parte do Multinível do passado.

A empresa do futuro terá estrutura enxuta para poder focar somente em tecnologias e estratégias comerciais para encantar o consumidor e aumentar os ganhos do consultor.

Todo o resto será feito por parceiros externos muito melhor preparados em sua estrutura e tecnologia para gerar rapidez, segurança e transparência na relação com o consultor e o consumidor.

Ou, do contrário, correrá o risco de inchar e sofrer com a má gestão de áreas que não são sua especialidade, prejudicando o negócio como um todo.

Simplificação da linguagem

Tudo isso só será possível com o uso de uma linguagem que qualquer pessoa entenda e se sinta capaz de fazer o que precisa ser feito, mesmo que nunca tenha entrado antes num escritório virtual de MMN.

Sabe aquela máxima de que sua avó precisa entender o negócio se você quiser ter duplicação?

Esse conceito precisa nascer com a empresa, para se disseminar por todos os consultores.

Com bônus simples. Planos simples. Treinamentos simples. Enfim, tudo simples para gerar resultados rápidos e consistentes.

Atrativa para os jovens

A marca e os produtos serão atrativos para os jovens Millenials, que trazem consigo as vantagens de já terem nascido no ambiente virtual.

Os produtos devem ter embalagens “Instagramáveis”, que estimulem a publicação nas redes sociais naturalmente, sem forçar a barra.

O negócio todo precisa caber no celular, em todas as etapas necessárias para a construção dos resultados.

Líder livre (de verdade)

Em resumo, a empresa do futuro tem:

  • Produtos realmente diferenciados e que cabem no bolso
  • Alta tecnologia para gerar vendas recorrentes automaticamente
  • Ferramentas para recrutamento e retenção automáticos
  • Foco total no cliente final
  • Ferramentas e abordagens que zeram o medo de sofrer rejeição
  • Capacidade real de atrair pessoas de fora do MMN
  • Linguagem simples
  • Pagamento facilitado
  • Marca forte e atrativa para os jovens

Com tudo isso, o líder ficará livre para fazer o que sabe de melhor, que é promover seu negócio.

E poderá, finalmente, desfrutar da tão sonhada liberdade que lhe prometeram quando conheceu o Multinível pela primeira vez.

Em resumo, o Multinível do futuro é uma empresa de saúde com foco em vendas sociais e remuneração em níveis.

Será tão diferente, que nem parecerá Multinível.

E está muito mais próxima do que se imagina.

Ednaldo Bispo tem 25 anos de experiência no MMN, como consultor, líder e executivo, tendo sido reconhecido como um dos melhores palestrantes de Multinível do mundo pela Revista Business For Home